Ficha Técnica Cadernos Justiça Administrativa

Diretora

Elizabeth Fernandez

Conselho de Redação

Alexandra Alendouro
Juíza do Tribunal Central Administrativo Norte

Carla Amado Gomes
Professora da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Carlos Luís Medeiros de Carvalho
Juiz do Supremo Tribunal Administrativo

Dora Lucas Neto
Juíza do Tribunal Central Administrativo Sul / Secretária do Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscais

Elizabeth Fernandez
Professora da Escola de Direito da Universidade do Minho

Filipa Calvão
Professora da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa (Porto)

Isabel Celeste Fonseca
Professora da Escola de Direito da Universidade do Minho

José Eduardo Figueiredo Dias
Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra

Maria João Estorninho
Professora da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa)

Pedro Costa Gonçalves
Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra

Pedro Machete
Professor da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa) e Juiz do Tribunal Constitucional

Pedro Marchão Marques
Juiz do Tribunal Central Administrativo Sul

Vasco Pereira da Silva
Professor da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa e da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa)

Vera Eiró
Professora da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa

Secretária de Redação

Sandra Duarte Ferreira

Revisão de Textos

Paula Oliveira Azevedo

Propriedade e Redação

CEJUR – Centro de Estudos Jurídicos do Minho
Escola de Direito da Universidade do Minho
Campus de Gualtar
4710-057 Braga
Contribuinte n.º 503 145 890

Estatuto Editorial

Os Cadernos de Justiça Administrativa são uma publicação periódica de carácter científico, que procura contribuir para o desenvolvimento dos estudos jurídicos no âmbito da Justiça Administrativa.
Na suas relações com os leitores compromete-se
 a respeitar os princípios deontológicos e éticos que devem nortear uma publicação científica.
As decisões de fundo serão tomadas pelo Conselho de Redacção, que assegura o tratamento rigoroso e aberto dos temas abordados.

Voltar